Não insista com pessoas que não sabem amar

Cansei de gente que não sabe amar. Confesso, desisto de correr atrás e, se fosse você, também desistiria. Quem ama, caminha ao lado, não na frente. Quem ama não faz sombra. Minha autoestima está muito bem, obrigada, para ficar implorando amor, demonstrando carinho, enquanto do outro lado só tenho migalhas, bocejos, sono.

Falo de desamor, de todos os tipos. Nenhuma amizade vale a pena se você apenas é quem se doa, sem a contrapartida. Nenhum amor vale a pena, também, dessa forma. Amor incondicional, pela humanidade, só Madre Teresa de Calcutá. Dar a outra face? Apenas Cristo. Nós somos de carne e osso. Meu sangue é quente, latino. Minha latinidade não me permite ser um cão, que abana o rabo até para quem me maltrata. Tenho dignidade. Você não?

Ah, mas é nobre dar a outra face! Será? Será mesmo? Onde está a nobreza de apanhar e buscar novamente, e indefinidamente, os punhos do outro? Deixe Cristo de lado. As situações que viveu são completamente diferentes das que nós, mulheres maduras do século XXI, vivemos hoje.

Cansa investir em alguém que não nos dá a mínima bola, não é mesmo? Para haver um relacionamento é preciso um par, no mínimo. Duas pessoas que queiram e demonstrem sua ânsia. Deixa eu te contar uma história. Anos atrás conheci uma menina bacana, pelo menos foi o que achei naquele momento. Insisti nessa amizade. Por que, meu Deus? Eu insistia e ela fugia. Eu insistia e ela fugia. Até que cedeu e se tornou minha amiga, por pura insistência minha. Acompanhou , a partir dali, toda minha vida. Soube de tudo que se passava em minha casa e em minha mente, mas sem participar realmente. Não tecia comentários, não dava conselhos, parecia não se importar. E eu não sabia quase nada dela. Quando entrou em crise no casamento, não me contou. Quando quase perdeu o filho em um acidente, não me contou. A frieza era congelante. E eu só percebi quando novas amizades, quentes, foram surgindo. O fim? Deixei-a ir. Não mais insisti em papos, em festas, em programas de amigas. Ela se foi, sem olhar para trás, sem ligar.

Qualquer forma de amor exige entrega. Eu me entreguei àquela amizade. Eu me entrego a meus amigos, eu me entrego a meu parceiro de vida, eu me entrego aos meus filhos. Menos que isso é dar pouco aos outros e esses outros não merecem.

Há gente que ainda é adepta dos joguinhos. O melhor que eu posso lhe dizer, caso você se encaixe nesse perfil, é: fuja desse comportamento mesquinho, pequeno. Ninguém merece alguém que não se envolve ou que mente, sempre imaginando “os passos que o outro dará”. Seja autêntica, seja você, dizendo, fazendo, sendo o que você é. Relacionamento não é jogo de pôquer para você esperar os lances do adversário. Em relacionamentos, não há adversários. Não trate pessoas como inimigas!

Tá a fim do primo da amiga? Faça-o ver isso. Simpatizou com a mãe da colega da filha? Diga para ela! Não deixe o seu gostar escondido, esperando que algo aconteça para poder demonstrá-lo livremente. A vida acontece hoje. O momento é o agora.

Ame e diga. Confie. Entregue-se. Só não se arraste diante de quem nem te notou.

 

Beijos e  me liga!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat