Dicas para você empreender com propósito

E o tal de propósito, hein? Vive atormentando sua vida, te tirando o sono, te deixando horas a fio, olhando para o teto, sem conseguir chegar a alguma resposta para esse enigma da vida. As vezes o tal propósito parece uma charada insolúvel, algo criado por um desocupado só para atormentar a vida das pessoas, como os vírus de computador. E se eu te disser que ele não é algo assim tão monstruoso? E se eu te disser que a gente pode conviver com a ideia de propósito usando-a para alavancar nossas vidas e nos elevar a patamares estratosféricos de realização, de desenvolvimento, de crescimento?

Vamos lá, vou te explicar. Quando falo em propósito, não me refiro àquela ideia antiga, ainda muito difundida, de que temos que decidir o que queremos fazer por nossa vida inteira. Não! Isso não é propósito e sim masoquismo! Isso não é realização e sim sofrimento! Não fique secando gelo!

Como a gente pode escolher algo para fazer por toda a vida? Nós somos seres mutantes, que se transformam a todo o momento. E a mudança é boa, viu? Em outro momento falaremos dela. Se mudamos, e é bom mudar, porque imaginamos que temos que viver o mesmo propósito por 30, 40, 50 anos?

Quantas pessoas você conhece que sabiam o que queriam fazer já na infância e hoje desempenham exatamente aquilo que sonharam? Eu conheço apenas uma. UMA! Quer dizer, duas. Essa segunda foi Madre Tereza de Calcutá e, assim mesmo, a caminhada dela não foi assim tão fácil não!Conheci médico que se dedicou a vida inteira ao cuidado de seus pacientes, mas queria ser ator. Eu conheci advogada infeliz, que queria trabalhar com moda. Eu conheci psicóloga que queria ter uma agência de babás, outra que tinha paixão por bichos e outra (oi? Alguém me chamou?) que queria empreender. Conheci altas executivas de grandes empresas que queriam ser influenciadoras digitais, arquitetas e cinegrafistas.

Uma coisa é você trabalhar porque precisa do dinheiro, porque é necessário, porque a sociedade determina que você é vagabunda se não sair de casa. Outra coisa é você querer estar no seu trabalho pelo resto de sua vida. Ficar anos em um consultório, atendendo pacientes, não é sinônimo de propósito. A pessoa está lá e ponto. Pode ser por amor à profissão – e graças a Deus que há gente assim! Pode ser por costume. Então, não se afunde num poço de autopiedade olhando para essas pessoas e pensando que você não teve a mesma sorte. Você não sabe o que se passa na cabeça do médico que lhe atende tão bem.

Então, Cláudiaaaaaa! O que fazer?

Buscar o que te faz feliz hoje, mesmo que essa escolha não seja permanente. Não se dedique a encontrar algo para a vida toda. Encontre algo para ser feliz hoje. Mas, não me interprete mal. Não estou pregando a desistência, a impermanência. Para que você dê certo, é preciso perseverar (oi? Alguém me chamou de novo? Bem, essa é uma história longa, que te conto outro dia). Maaas, perseverar não é sinônimo de martírio.

Empreender com propósito é transformar o que você ama em um negócio ao qual se dedicar e sentir que nosso fazer transforma o mundo, porque modifica a vida dessas pessoas. É entender que você não é uma pedreira que trabalha em construções. Uma pedreira passa o dia subindo paredes. Uma empreendedora da área faz mais do que isso: ela constrói sonhos, lugares de aconchego, de união, de amor. Dá para entender a diferença? Isso é empreender com propósito, é dar significado ao seu trabalho.

Empreender também é tornar rentável essa paixão, porque não basta amar, é preciso que essa paixão não te dê prejuízo e leve sua família a falência. Sim, é possível empreender apenas por amor, e está tudo bem desde que você possa assumir essa escolha.

Sabe? Nós passamos por três etapas quando vamos empreender:

  1. Ser:primeiro você precisa se apropriar de seu desejo. Você quer empreender, tem uma paixão forte por algo, sente que pode ser muito feliz trabalhando com isso, então seja isso! Entre na pele dessa profissional, se diga essa profissional, aja como essa empreendedora! Se você quer empreender e vender serviços para grandes corporações, ótimo! Tire a roupa de ficar em casa, vista-se apropriadamente, frequente os lugares que essa profissional frequentaria. Respire os ares de uma empreendedora dessa área. Se você quer abrir um negócio que venda docinhos para festas, a lógica é a mesma. Seja uma profissional dos docinhos, mas não uma qualquer. Seja a melhor profissional de docinhos que esse mundo já conheceu;
  2. Fazer:faça o que estiver ao seu alcance para empreender. Resolva seus problemas, sem mimimi, sem desistir. Você conseguiria imaginar Steve Jobs chorando em um canto de sua sala milionária quando um assessor entrava e dizia algo como “Olha, chefinho…Más notícias. A máquina que fazia o sbrivts do Iphone 38 quebrou e agora não temos como produzir as 5 milhões de unidades previstas para serem vendidas nesse mês”? Você imagina isso? Claro que não. Todos os problemas que chegassem a ele eram resolvidos. E é isso que temos que fazer. Resolver  problemas, incrementar nossos planos e, então,
  3. Ter:receber a recompensa por nossos esforços.

Trabalhar com propósito é isso. Pegar nossa paixão, algo que fazemos bem, transformar esse talento em empreendimento, suar a camiseta e, mesmo assim, sentir que fazemos algo maior, que acrescenta valor às nossas vidas e daqueles que nos cercam. Empreender com propósito é sentir que fazemos a diferença no mundo. É sermos felizes no aqui e agora, sabendo que estamos transformando vidas. E tenha isso em mente, sempre: por mais simples que seja seu empreendimento, por mais concreto que seja o produto que você irá vender, ele transformará vidas. Aproprie-se dessa realidade. Realize-se!

Com amor,

Cláudia Mester

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WhatsApp chat